Colegio Militar

 
 

1- Entrada

 

O Museu foi inaugurado em 9 de Outubro de 1953 pelo Presidente da República Marechal Craveiro Lopes. A sua criação foi da iniciativa do Capitão Professor Júlio Martins, tendo ficado instalado inicialmente no Ginásio e posteriormente no edifício situado no " Pátio das osgas ". Em 1978 transitou para as actuais instalações.

Neste átrio, nas vitrinas e expositores encontram-se numerosas medalhas e lembranças que foram oferecidas aos alunos quando de visitas efectuadas a diversas unidades e Estabelecimentos Militares, Entidades civis ou quando de visitas ao Colégio.

  museucol1a
 
museucol2a  

2- Comandantes de Batalhão

 

Nesta sala podem ser observadas as fotografias dos Comandantes de Batalhão de Alunos desde 1863, data em que esta graduação foi instituída. O primeiro a merecer esta honrosa distinção foi o grande sertanejo Serpa Pinto que inicia a ilustre galeria. A Família Real está aqui também em destaque, nas pessoas do Rei D. Carlos e Príncipe Luís Filipe, que foram Comandantes de Batalhão honorários e cujas réplicas das suas espadas se encontram expostas neste espaço. Ao centro da sala podem ser admirados cadernetas escolares, " calixtos " e fotografias pertença de antigos alunos.

 

3 - Uniformes

Da direita para a esquerda:

* Uniforme em uso entre 1803 e 1813, pelos alunos do Colégio de Educação do Regimento de Artilharia da Corte ou Colégio Militar da Feitoria

* Uniforme em uso desde 1814 data em que o Real Colégio Militar, já oficializado no ano anterior, veio instalar-se na Luz.

* Uniforme em uso desde 1837 a 1852.

* Uniforme em uso desde 1852 a 1866 com as alterações introduzidas em 1861.

* Uniforme em uso desde 1870 com as alterações de 1906.

* Uniforme desde 1906 e actualmente em uso.

 
museucol3a
  

4 - Ex-Alunos Ilustres

 

Da esquerda para a direita:

 

* Celestino Paes de Ramos - aluno 68 / 1906 - Oficial do Exército, Piloto Aviador da Arma da Aeronáutica

* D. Domingos de Sousa Coutinho - aluno 262 / 1906 - Oficial do Exército, Cavaleiro Olímpico

* Júlio C. A. Dias Botelho Moniz - aluno 106 / 1911 - General Ministro da Defesa

* Salvador Barata Feyo - aluno 105 / 1911 - Professor Escultor

* Raul de Carvalho Soares - aluno 155 / 1912 - Artista Dramático

* Helder Eduardo de S. Martins - aluno 225 / 1912 - Oficial do Exército, Cavaleiro Olímpico

* Tomáz de Aquino C. Alcaide - aluno 236 / 1912 - Cantor Lírico

* Carlos Teixeira Branquinho - aluno 328 / 1913 - Embaixador

* Plácido da Cunha e Abreu - aluno 128 / 1915 - Oficial Piloto Aviador

* José Beltrão - aluno 231 / 1916 - Oficial do Exército, Cavaleiro Olímpico

* Júlio David Gonçalves Magno - aluno 344 / 1916 - Médico Militar, Escritor, Ensaísta

* Carlos Mário Sanches Costa Macedo - aluno 394 / 1916 - Oficial Piloto Aviador

* Humberto Delgado - aluno 398 / 1916 - General, Diplomata e Político

* Arantes de Oliveira -aluno ext / 1917 - Engenheiro Fundador do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, Ministro das Obras Públicas

* João Eduardo G. Correia Barrento - aluno 17 / 1917 - General, Cavaleiro Olímpico

* António Sebastião Ribeiro de Spínola - aluno 33 / 1920 - Marechal, Presidente da República

* Olavo d'Eça Leal - aluno 40 / 1918 - Escritor, Desenhador e Locutor Radiofónico

* Armando Ducla Soares - aluno 94 / 1922 - Médico, Professor Universitário

* Manuel Rocha - aluno 166 / 1923 - Engenheiro, Director do Laboratório Nacional de Engenharia Civil

* Fernando Simões da Cruz Ferreira - aluno 218 / 1924 - médico, Professor Catedrático de Patologia e Clínicas Tropicais

* Francisco da Costa Gomes - aluno 254 / 1924 - Marechal, Presidente da República

 
museucol4a
 
 
 
 

 
 

1 - Entrada

 

No dia 3 de Março de 1995 no 192º aniversário do Colégio Militar, foi inaugurado pelo Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército - General Octávio Gabriel Calderon de Cerqueira Rocha o pavilhão das aulas, contemplando a existência do Museu de História Natural, com dois pisos.

À entrada do museu deparamo-nos com belos exemplares de Crocodylus niloticus ( Crocodilo do Nilo ), além de outros exemplares pertencentes a outras classes de animais ( exemplar do Nandu e cabeças de outros mamíferos, búfalos e antílopes ).

Há, ainda a registar, a presença de fósseis de peixes e marcas fossilizadas de anelídeos.

  museuhist3a
 
museuhist2a  

2 - Expositores

 

À frente, o de Rochas e Minerais, onde se podem encontrar Rochas Eruptivas Plutónicas, Rochas Eruptivas Vulcânicas, Rochas Sedimentares e Rochas Metamórficas.

Relativamente aos Minerais há uma enorme variedade de Nesosilicatos, Minerais Molibdatos, Tungstatos, Arsenatos, Fosfatos, Sulfatos, Carbonatos, Halóides, Óxidos, Sulfuretos, Sulfósais. Nos armários envidraçados existe uma colecção de animais mamíferos embalsamados, assim como diversos esqueletos e crânios.

 

3 - Salão do Piso Térreo

 

O rico museu do pavilhão das aulas inclui magníficos exemplares de várias classes de animais, destacando-se este esqueleto de um mamífero - Hippopotamus amphibius ( Hipopótamo ).

Neste salão observam-se quadros murais tridimensionais ( ouvido, língua ) e modelos tridimensionais ( cabeça, tórax, abdómen, membro superior ) e modelos tridimensionais do bicho da seda, caracol, abelha e aranha.

Verifica-se a existência de manequins antigos de gesso e esqueletos verdadeiros. Há, neste espaço, um predomínio da parte óssea - cabeça de elefante, cabeça de hipopótamo, defesas dos elefantes, vértebra de cetáceo.

Há, ainda a destacar insectários e muitos modelos embalsamados de Mamíferos, Aves, Répteis e Peixes. Parte deste espólio é oriundo de dádivas de ex-alunos e militares.

  museuhist1a
 

4 - Sala Nobre

 

Nos expositores de répteis podem observar-se modelos em gesso, representando:

 

* Archaeopteryx macrura

* Clyptodon

* Magatherium americanum

* Diplodocus march

* Brontosauros

 

 

  museuhist4a
     

À direita um exemplar de uma Girafa com 5 semanas de idade - oferta do Museu Álvaro de Castro, Lourenço Marques, 29 de Agosto de 1951.As vitrinas foram pensadas do ponto de vista da iluminação e estética. Nesta sala são feitas exposições temporárias, rodando periodicamente as várias colecções. Nas vitrinas campanuladas existentes, na parte central, está exposta uma pequena galeria de Aves.

Destacam-se também exemplares da Preguiça, Leopardos, Gibóia, Avestruz-Macho, Esturjão, Pelicano e um conjunto de Corais. O objectivo deste espaço é a renovação na exposição temporária, predominando Mamíferos e Aves, consoante a recuperação dos exemplares a serem expostos.

 

 

 

No primeiro andar encontram-se as instalações da Física, incluindo um museu de material que é também de tradições e memórias dos antigos alunos, enobrecidas por uma colecção de azulejos retratando Químicos ilustres.

O rico museu do pavilhão inclui, entre muitas peças preciosas, um magnífico exemplar da máquina Atwood que julgamos ser exemplar único em Portugal e muito raro no mundo, que impressiona pelo seu aspecto e pelo tamanho da vitrine que a envolve.

A seguinte história é altamente significativa acerca do seu valor. Um engenheiro físico da Leybold, companhia alemã que há cerca de 90 anos fabricou e vendeu aquela peça, veio um dia visitar o Colégio Militar. Ao reparar na máquina e na sua origem, ficou petrificado em frente dela e, sem disfarçar uma enorme estupefacção, comentou o seguinte: " temos na Leybold um museu com material muito antigo por nós fabricado; conheço muito bem tudo o que lá existe; infelizmente não temos uma máquina igual nem sequer parecida com esta." Ao seu lado direito observa-se a luneta de Zeiss.

 
ciencia

Eventos

Accessibility